#marceloscience

5,254 posts

Loading...
@Regrann from @scientia_europa -  @Regran_ed from @paulo08henrique -  @Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - #regrann

@Regrann from @scientia_europa - @Regran_ed from @paulo08henrique - @Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - #regrann - 1 day ago

6 Likes
0 Comments
0
@marceloscience (@make_repost)
・・・
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

@marceloscience (@make_repost ) ・・・ Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 1 day ago

14 Likes
0 Comments
0
Loading...
#Repost @paulo08henrique (@get_repost)
・・・
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann

#Repost @paulo08henrique (@get_repost ) ・・・ @Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - 2 days ago

12 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - 2 days ago

14 Likes
0 Comments
0
A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Credit to: marceloscience
Texto e imagem: @ #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Credit to: marceloscience Texto e imagem: @ #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

14 Likes
0 Comments
0
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

21 Likes
1 Comments
0
@Regran_ed from @paulo08henrique -  @Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - #regrann

@Regran_ed from @paulo08henrique - @Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - #regrann - 2 days ago

36 Likes
1 Comments
0
@Regrann from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

@Regrann from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

3 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann  #ficaadica #personalrichellerocha #vemtreinarcomigo #saudeemprimeirolugar #educacaofisicaporamor #personalrichellerocha

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann #ficaadica #personalrichellerocha #vemtreinarcomigo #saudeemprimeirolugar #educacaofisicaporamor #personalrichellerocha - 2 days ago

7 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • •
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

#Repost @marceloscience • • • Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

10 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - #regrann - 2 days ago

9 Likes
1 Comments
0
#Repost from @marceloscience by @quicksave.app
・・・
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. #InstaSaveApp #lenevbarros

#Repost from @marceloscience by @quicksave.app ・・・ Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. #InstaSaveApp #lenevbarros - 2 days ago

227 Likes
4 Comments
0
Post do meu irmão @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

Post do meu irmão @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

288 Likes
11 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder #treinamentointeligente #variaveisdotreinamento 
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder #treinamentointeligente #variaveisdotreinamento Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

9 Likes
0 Comments
0
Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005).
O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008).
Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008).
No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem.
Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto.
Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico).
Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho.
Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%).
Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015.

Texto: @marceloscience - A osteoartrite (OA) e osteoporose (OP) são doenças comuns em mulheres pós-menopausa (McDonald, 2005). O exercício é amplamente recomendada como uma das estratégias preventivas essenciais para reduzir o risco de OP, quedas e fraturas (Babatunde, 2012) e também como tratamento para OA leve e moderada (Zhang, 2008). Inclusive a musculação têm se mostrado benéfica para reduzir a dor e melhorar a função física na OA (Fransen, 2008). No entanto, o que é controverso e pouco compreendido é o impacto de exercício simultaneamente no osso e cartilagem. Multanen e Häkkinen (2015), alguns dos maiores pesquisadores desta área, acabaram de verificar exatamente isso, alterações ósseas e na cartilagem após 12 meses de exercícios de alto-impacto. Os resultados mostraram que o grupo que fez exercício MELHOROU em 0,6% o conteúdo mineral ósseo do colo do fêmur e lombar, já o grupo controle PERDEU 1,2% (foto gráfico). Não foi observada diferença significativa na cartilagem do joelho. Porém, o grupo que se exercitou MELHOROU SIGNIFICATIVAMENTE o equilíbrio e a força muscular (3% a 11%). Desta forma, o treinamento de alto impacto pode ajudar na prevenção da osteoporose e fatores de risco relacionados com o desempenho físico e quedas em mulheres pós-menopausa, mas obviamente, se vc se encontra nessa situação consulte seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effects of High-Impact Training on Bone and Articular Cartilage: 12 Months Randomized Controlled Quantitative Magnetic Resonance Imaging Study, Multanen et. al., 2015. - 2 days ago

867 Likes
26 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 2 days ago

115 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
A obesidade aumentou em todo o mundo, principalmente devido a dietas ricas em calorias e estilo de vida sedentário (Drewnowski, 2000).
O problema é que ela não está associada "apenas" a doenças como diabetes, doença cardiovascular e câncer, mas também reduz longevidade, qualidade de vida e pode levar a depressão (Scully, 2014 e OMS, 2017).
A relação entre obesidade e depressão é bi-direcional, indivíduos obesos têm 50% maior risco de desenvolver depressão, o que é muito grave, pois ela pode levar ao suicídio, que é a segunda causa morte entre pessoas de 15 a 29 anos.
Portanto, manter uma boa forma física vai muito além de padrão de beleza, é saúde, longevidade e qualidade de vida.
Bons treinos e bons estudos 🙏
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #Effects #Diet #exercise #resistance #Inflammation #Knee #treino #marceloscience #musculação #músculo #strength
Fonte: Nutrition transition and global dietary trends, Drewnowski et al., 2000.
Fonte: Public health: society at large, Scully et al., 2014.
Fonte: OMS, 2017. Depression. <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs369/en/>.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ A obesidade aumentou em todo o mundo, principalmente devido a dietas ricas em calorias e estilo de vida sedentário (Drewnowski, 2000). O problema é que ela não está associada "apenas" a doenças como diabetes, doença cardiovascular e câncer, mas também reduz longevidade, qualidade de vida e pode levar a depressão (Scully, 2014 e OMS, 2017). A relação entre obesidade e depressão é bi-direcional, indivíduos obesos têm 50% maior risco de desenvolver depressão, o que é muito grave, pois ela pode levar ao suicídio, que é a segunda causa morte entre pessoas de 15 a 29 anos. Portanto, manter uma boa forma física vai muito além de padrão de beleza, é saúde, longevidade e qualidade de vida. Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #Effects #Diet #exercise #resistance #Inflammation #Knee #treino #marceloscience #musculação #músculo #strength Fonte: Nutrition transition and global dietary trends, Drewnowski et al., 2000. Fonte: Public health: society at large, Scully et al., 2014. Fonte: OMS, 2017. Depression. <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs369/en/>. - 2 days ago

104 Likes
1 Comments
0
Obrigado pelo incentivo Prof. Estou repostando aqui o Estudo. Muito bom 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻, abraços @treinador_rafaelwillian 👍🏻. Sua publicação Top 👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻. Sigam o Prof. 👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻👇🏻
Texto: @marceloscience - Estudo anterior de Contreras (2015) verificou que a elevação pélvica tinha MAIOR ativação de GLÚTEOS que o agachamento.
.
Já Saeterbakken (2017) mostrou que a elevação pélvica ativa 26% MAIS o GLÚTEO que o levantamento terra.
.
Mas e agora, o que diz o recente estudo de Williams (2018)?
.
Ele comparou ativação do glúteo no agachamento, afundo e elevação pélvica em 12 homens treinados.
.
O resultado mostrou que a ELEVAÇÃO PÉLVICA apresentou em média 30% a MAIS de ativação que ambos exercícios.
.
Portanto, as evidências estão cada vez mais consistentes que a ELEVAÇÃO PÉLVICA é um excelente exercício para o GLÚTEO.
.
Bons treinos e bons estudos 🙏
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #activity #foco #bodybulding #musculação #marceloscience #treino #hipertrofia #strength #squat #resistancetraining #power #força #squats #hypertrophy
Fonte: Fonte: A Comparison of Gluteus Maximus, Biceps Femoris, and Vastus Lateralis Electromyographic Activity in the Back Squat and Barbell Hip Thrust Exercises. Contreras et al., 2015.
Fonte: Electromyographic comparison of barbell deadlift, hex bar deadlift and hip thrust exercises: a cross-over study, Saeterbakken et al., 2017.
Fonte: Activation of the gluteus maximus during performance of the back squat, split squat,
and barbell hip thrust and the relationship with maximal sprinting, Williams et al., 2018.

Obrigado pelo incentivo Prof. Estou repostando aqui o Estudo. Muito bom 🏻🏻🏻🏻🏻, abraços @treinador_rafaelwillian 🏻. Sua publicação Top 🏻🏻🏻🏻🏻. Sigam o Prof. 🏻🏻🏻🏻🏻 Texto: @marceloscience - Estudo anterior de Contreras (2015) verificou que a elevação pélvica tinha MAIOR ativação de GLÚTEOS que o agachamento. . Já Saeterbakken (2017) mostrou que a elevação pélvica ativa 26% MAIS o GLÚTEO que o levantamento terra. . Mas e agora, o que diz o recente estudo de Williams (2018)? . Ele comparou ativação do glúteo no agachamento, afundo e elevação pélvica em 12 homens treinados. . O resultado mostrou que a ELEVAÇÃO PÉLVICA apresentou em média 30% a MAIS de ativação que ambos exercícios. . Portanto, as evidências estão cada vez mais consistentes que a ELEVAÇÃO PÉLVICA é um excelente exercício para o GLÚTEO. . Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #activity #foco #bodybulding #musculação #marceloscience #treino #hipertrofia #strength #squat #resistancetraining #power #força #squats #hypertrophy Fonte: Fonte: A Comparison of Gluteus Maximus, Biceps Femoris, and Vastus Lateralis Electromyographic Activity in the Back Squat and Barbell Hip Thrust Exercises. Contreras et al., 2015. Fonte: Electromyographic comparison of barbell deadlift, hex bar deadlift and hip thrust exercises: a cross-over study, Saeterbakken et al., 2017. Fonte: Activation of the gluteus maximus during performance of the back squat, split squat, and barbell hip thrust and the relationship with maximal sprinting, Williams et al., 2018. - 3 days ago

88 Likes
10 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)!
Mas professor, então pra que fazer abdominal?
SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado.
Mas professor, isso NÃO é importante!
Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens.
Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo.
Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados!
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.

#Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)! Mas professor, então pra que fazer abdominal? SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado. Mas professor, isso NÃO é importante! Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens. Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo. Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados! Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - 3 days ago

20 Likes
0 Comments
0
- Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

- Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 3 days ago

89 Likes
3 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience 
Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
#endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

@Regran_ed from @marceloscience Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 3 days ago

28 Likes
2 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 3 days ago

133 Likes
7 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)!
Mas professor, então pra que fazer abdominal?
SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado.
Mas professor, isso NÃO é importante!
Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens.
Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo.
Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados!
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.

#Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)! Mas professor, então pra que fazer abdominal? SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado. Mas professor, isso NÃO é importante! Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens. Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo. Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados! Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - 3 days ago

42 Likes
4 Comments
0
・・・
#Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)!
Mas professor, então pra que fazer abdominal?
SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado.
Mas professor, isso NÃO é importante!
Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens.
Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo.
Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados!
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.

・・・ #Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)! Mas professor, então pra que fazer abdominal? SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado. Mas professor, isso NÃO é importante! Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens. Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo. Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados! Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - 3 days ago

165 Likes
4 Comments
0
@Regran_ed from @projetohorroroso -  #Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)!
Mas professor, então pra que fazer abdominal?
SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado.
Mas professor, isso NÃO é importante!
Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens.
Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo.
Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados!
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - #regrann

@Regran_ed from @projetohorroroso - #Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)! Mas professor, então pra que fazer abdominal? SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado. Mas professor, isso NÃO é importante! Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens. Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo. Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados! Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - #regrann - 3 days ago

22 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)!
Mas professor, então pra que fazer abdominal?
SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado.
Mas professor, isso NÃO é importante!
Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens.
Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo.
Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados!
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.

#Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Entenda, abdominal NÃO queima gordura localizada (Vispute, 2011)! Mas professor, então pra que fazer abdominal? SIMPLES, para fortalecer a musculatura, como qualquer outro exercício localizado. Mas professor, isso NÃO é importante! Claro que É, ter um abdômen e CORE bem trabalhados melhora a postura, reduz dor nas costas, facilita a estabilização para outros movimentos, entre outras vantagens. Mas claro, faça com a intensidade correta, como qualquer outro músculo. Esqueça a ideia de realizar centenas de repetições com exercícios ineficazes, assim perceberá os resultados! Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #exercise #fat #resistancetraining #resistance #metabolismo #gordura #massamuscular #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. - 3 days ago

840 Likes
14 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - Estudo anterior de Contreras (2015) verificou que a elevação pélvica tinha MAIOR ativação de GLÚTEOS que o agachamento.
.
Já Saeterbakken (2017) mostrou que a elevação pélvica ativa 26% MAIS o GLÚTEO que o levantamento terra.
.
Mas e agora, o que diz o recente estudo de Williams (2018)?
.
Ele comparou ativação do glúteo no agachamento, afundo e elevação pélvica em 12 homens treinados.
.
O resultado mostrou que a ELEVAÇÃO PÉLVICA apresentou em média 30% a MAIS de ativação que ambos exercícios.
.
Portanto, as evidências estão cada vez mais consistentes que a ELEVAÇÃO PÉLVICA é um excelente exercício para o GLÚTEO.
.
Bons treinos e bons estudos 🙏
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #activity #foco #bodybulding #musculação #marceloscience #treino #hipertrofia #strength #squat #resistancetraining #power #força #squats #hypertrophy #educaçãofísica #treinoedieta
Fonte: Fonte: A Comparison of Gluteus Maximus, Biceps Femoris, and Vastus Lateralis Electromyographic Activity in the Back Squat and Barbell Hip Thrust Exercises. Contreras et al., 2015.
Fonte: Electromyographic comparison of barbell deadlift, hex bar deadlift and hip thrust exercises: a cross-over study, Saeterbakken et al., 2017.
Fonte: Activation of the gluteus maximus during performance of the back squat, split squat,
and barbell hip thrust and the relationship with maximal sprinting, Williams et al., 2018.

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - Estudo anterior de Contreras (2015) verificou que a elevação pélvica tinha MAIOR ativação de GLÚTEOS que o agachamento. . Já Saeterbakken (2017) mostrou que a elevação pélvica ativa 26% MAIS o GLÚTEO que o levantamento terra. . Mas e agora, o que diz o recente estudo de Williams (2018)? . Ele comparou ativação do glúteo no agachamento, afundo e elevação pélvica em 12 homens treinados. . O resultado mostrou que a ELEVAÇÃO PÉLVICA apresentou em média 30% a MAIS de ativação que ambos exercícios. . Portanto, as evidências estão cada vez mais consistentes que a ELEVAÇÃO PÉLVICA é um excelente exercício para o GLÚTEO. . Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #activity #foco #bodybulding #musculação #marceloscience #treino #hipertrofia #strength #squat #resistancetraining #power #força #squats #hypertrophy #educaçãofísica #treinoedieta Fonte: Fonte: A Comparison of Gluteus Maximus, Biceps Femoris, and Vastus Lateralis Electromyographic Activity in the Back Squat and Barbell Hip Thrust Exercises. Contreras et al., 2015. Fonte: Electromyographic comparison of barbell deadlift, hex bar deadlift and hip thrust exercises: a cross-over study, Saeterbakken et al., 2017. Fonte: Activation of the gluteus maximus during performance of the back squat, split squat, and barbell hip thrust and the relationship with maximal sprinting, Williams et al., 2018. - 4 days ago

34 Likes
3 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 4 days ago

34 Likes
1 Comments
0
#Repost @andreguelfipersonal
・・・
@Regrann from @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @andreguelfipersonal ・・・ @Regrann from @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 6 days ago

33 Likes
2 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

@Regran_ed from @marceloscience - Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 6 days ago

106 Likes
5 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto: @marceloscience - Mesmo sendo muito utilizado, infelizmente é comum vermos pessoas cometendo uma série de erros no SUPINO.
Um dos mais comuns é a posição do punho.
Na foto 1, podemos perceber que o punho fica muito estendido, provocando sobrecarga excessiva em tendões, músculos, ligamentos e cartilagens, aumentando assim o risco de lesão.
Outro ponto é a própria transferência de força (foto pequena).
Podemos perceber que com o punho estendido, o vetor resistência NÃO fica alinhado ao ante-braço, prejudicando assim o desempenho.
Portanto, fique atento a esse "detalhe", pois ele pode fazer DIFERENÇA no desempenho e PRINCIPALMENTE no risco de LESÃO.
Agradecimento especial ao querido aluno, empresário e atleta @germanofiss
Bons treinos e bons estudos 🙏
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto @marceloscience #hipertrofia #marceloscience #treino #range #musculacao #saude #intensidade #forca #muscle #strength #grip #motion

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto: @marceloscience - Mesmo sendo muito utilizado, infelizmente é comum vermos pessoas cometendo uma série de erros no SUPINO. Um dos mais comuns é a posição do punho. Na foto 1, podemos perceber que o punho fica muito estendido, provocando sobrecarga excessiva em tendões, músculos, ligamentos e cartilagens, aumentando assim o risco de lesão. Outro ponto é a própria transferência de força (foto pequena). Podemos perceber que com o punho estendido, o vetor resistência NÃO fica alinhado ao ante-braço, prejudicando assim o desempenho. Portanto, fique atento a esse "detalhe", pois ele pode fazer DIFERENÇA no desempenho e PRINCIPALMENTE no risco de LESÃO. Agradecimento especial ao querido aluno, empresário e atleta @germanofiss Bons treinos e bons estudos MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto @marceloscience #hipertrofia #marceloscience #treino #range #musculacao #saude #intensidade #forca #muscle #strength #grip #motion - 7 days ago

52 Likes
0 Comments
0
Link in bio. Learn one of the most important skills there is.
.
.
.
.
.
.
.

#choices  #autogramtags #experiencing  #experince  #improve  #efforts  #journy  #forward  #worries  #calling  #discuss  #experimenting  #creativeminds  #inprocess  #artistlife  #create  #imagination  #workinprocess  #creativework  #artislife  #lifeofanartist  #treino  #musculação  #marceloscience  #suor  #treinamentoresistido  #ifbbpr  #ginástica  #construindoumshape  #moving

Link in bio. Learn one of the most important skills there is. . . . . . . . #choices #autogramtags #experiencing #experince #improve #efforts #journy #forward #worries #calling #discuss #experimenting #creativeminds #inprocess #artistlife #create #imagination #workinprocess #creativework #artislife #lifeofanartist #treino #musculação #marceloscience #suor #treinamentoresistido #ifbbpr #ginástica #construindoumshape #moving - 7 days ago

13 Likes
2 Comments
0
#Repost from @marceloscience. Texto @marceloscience 👉 Sim, ele serve BASICAMENTE para trabalhar o músculo quadrado lombar.
Mas professor, me falaram que ele “AFINA A CINTURA” e “REDUZ GORDURA LOCALIZADA”!
Aí sinto em dizer que quem falou isso ou é ignorante ou mal intencionado, mas vamos aos fatos.
Primeiro é importante entender que NENHUM exercício abdominal reduz gordura localizada ou afina a cintura (Vispute, 2011 e Campillo, 2013).
Outro ponto é que esse exercício pode até ser perigoso para a coluna, pois como estamos na vertical e ainda carregando peso, há um aumento importante da pressão axial (achatamento da coluna), aumentando a possibilidade de alguma complicação.
Sendo assim, se você usa esse exercício para trabalhar QUADRADO LOMBAR, OK, igual acho que existem outros MUITO melhores.
Mas se você é mais uma DAS PESSOAS que usa para afinar a cintura, reduzir gordura localizada ou reconquistar o amor perdido, sinto em dizer que está perdendo seu tempo.
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.
Fonte: regional fat changes induced by localized muscle endurance resistance training, Campillo et al., 2013.

#Repost from @marceloscience. Texto @marceloscience Sim, ele serve BASICAMENTE para trabalhar o músculo quadrado lombar. Mas professor, me falaram que ele “AFINA A CINTURA” e “REDUZ GORDURA LOCALIZADA”! Aí sinto em dizer que quem falou isso ou é ignorante ou mal intencionado, mas vamos aos fatos. Primeiro é importante entender que NENHUM exercício abdominal reduz gordura localizada ou afina a cintura (Vispute, 2011 e Campillo, 2013). Outro ponto é que esse exercício pode até ser perigoso para a coluna, pois como estamos na vertical e ainda carregando peso, há um aumento importante da pressão axial (achatamento da coluna), aumentando a possibilidade de alguma complicação. Sendo assim, se você usa esse exercício para trabalhar QUADRADO LOMBAR, OK, igual acho que existem outros MUITO melhores. Mas se você é mais uma DAS PESSOAS que usa para afinar a cintura, reduzir gordura localizada ou reconquistar o amor perdido, sinto em dizer que está perdendo seu tempo. Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. Fonte: regional fat changes induced by localized muscle endurance resistance training, Campillo et al., 2013. - 7 days ago

23 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para DORSAL!
Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse!
Ele só mostrou que a PUXADA ativa MAIS o DORSAL que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada.
Mas professor, no outro post vc disse que o PULLOVER ativa MENOS o PEITO que o SUPINO, e agora vc diz que o DORSAL também é MENOS ativado!
Isso mesmo!
Portanto, o que esse estudo sugere é que o PULLOVER trabalha de forma mediana esses dois grupos musculares, o que pode ser interessante em alguns casos.
Mas caso vc queira utilizar exercícios com MAIOR recrutamento muscular LOCALIZADO, parece que existem opções melhores, como a própria puxada e supino.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para DORSAL! Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse! Ele só mostrou que a PUXADA ativa MAIS o DORSAL que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada. Mas professor, no outro post vc disse que o PULLOVER ativa MENOS o PEITO que o SUPINO, e agora vc diz que o DORSAL também é MENOS ativado! Isso mesmo! Portanto, o que esse estudo sugere é que o PULLOVER trabalha de forma mediana esses dois grupos musculares, o que pode ser interessante em alguns casos. Mas caso vc queira utilizar exercícios com MAIOR recrutamento muscular LOCALIZADO, parece que existem opções melhores, como a própria puxada e supino. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018. - 8 days ago

23 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL!
Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse!
Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada.
Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL! Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse! Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada. Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018. - 8 days ago

14 Likes
0 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
#teamrobinho #personaltrainner #musculação #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aero
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO #teamrobinho #personaltrainner #musculação #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aero Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

36 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @carlos_nahum_personal -  @Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL!
Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse!
Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada.
Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício.
Bons treinos e bons estudos 🙏. Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018. - #regrann  #ficaadica #personalrichellerocha #vemtreinarcomigo #saudeemprimeirolugar #educacaofisicaporamor #personalrichellerocha

@Regran_ed from @carlos_nahum_personal - @Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL! Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse! Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada. Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício. Bons treinos e bons estudos . Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018. - #regrann #ficaadica #personalrichellerocha #vemtreinarcomigo #saudeemprimeirolugar #educacaofisicaporamor #personalrichellerocha - 8 days ago

16 Likes
1 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL!
Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse!
Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada.
Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício.
Bons treinos e bons estudos 🙏.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018.

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - Agora entendi, o PULLOVER não é para PEITORAL! Na verdade NÃO foi isso que o estudo disse! Ele só mostrou que o SUPINO ativa MAIS o PEITO que o PULLOVER, simples assim, e não que ele não ativa nada. Até porque, inúmeras outras variáveis devem ser analisadas na escolha de um exercício. Bons treinos e bons estudos . MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Resistance training acute session: pectoralis major, latissimus dorsi and triceps brachii electromyographic activity, Borges et al., 2018. - 8 days ago

102 Likes
1 Comments
0
Por @marceloscience
.
.
.  Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Por @marceloscience . . . Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

16 Likes
1 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience (@get_repost)

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #Repost @marceloscience (@get_repost ) - 8 days ago

23 Likes
2 Comments
0
Como sabem o stiffffffff é o queridinho das blogueiras e em consequência todas pessoas do mundooooo acham que é só lasca peso e pah resultadosssss... Este pôster do  #Repost @team_cerebro mostra um estudo interessantíssimo.
Ou seja tenha consciência do que é possível e do que não é.

#texto 
#siga @marceloscience 
STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999).
•
Sendo assim, qual desses ativa mais?
•
Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior.
•
Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna.
•
Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura.
•
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
 #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente 
Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015.

Como sabem o stiffffffff é o queridinho das blogueiras e em consequência todas pessoas do mundooooo acham que é só lasca peso e pah resultadosssss... Este pôster do #Repost @team_cerebro mostra um estudo interessantíssimo. Ou seja tenha consciência do que é possível e do que não é. #texto #siga @marceloscience STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999). • Sendo assim, qual desses ativa mais? • Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior. • Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna. • Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura. • Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015. - 8 days ago

38 Likes
2 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

30 Likes
6 Comments
0
Repost from @dr_eduardonunes using @RepostRegramApp - #Repost @marceloscience
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro #drthalesschincariol 
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Repost from @dr_eduardonunes using @RepostRegramApp - #Repost @marceloscience ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro #drthalesschincariol Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

139 Likes
3 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

37 Likes
2 Comments
0
Uma pergunta super frequente na academia e o @marceloscience respondeu com estudos muito atuais em um post no seu insta!!! Vale muito a leitura!!! #Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #mvfitness #mvfitnesscenter #academiacompleta #marcelocarvalho

Uma pergunta super frequente na academia e o @marceloscience respondeu com estudos muito atuais em um post no seu insta!!! Vale muito a leitura!!! #Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #mvfitness #mvfitnesscenter #academiacompleta #marcelocarvalho - 8 days ago

38 Likes
3 Comments
0
@Regran_ed from @lenevbarros -  Texto @marceloscience 👉 Sim, ele serve BASICAMENTE para trabalhar o músculo quadrado lombar.
Mas professor, me falaram que ele “AFINA A CINTURA” e “REDUZ GORDURA LOCALIZADA”!
Aí sinto em dizer que quem falou isso ou é ignorante ou mal intencionado, mas vamos aos fatos.
Primeiro é importante entender que NENHUM exercício abdominal reduz gordura localizada ou afina a cintura (Vispute, 2011 e Campillo, 2013).
Outro ponto é que esse exercício pode até ser perigoso para a coluna, pois como estamos na vertical e ainda carregando peso, há um aumento importante da pressão axial (achatamento da coluna), aumentando a possibilidade de alguma complicação.
Sendo assim, se você usa esse exercício para trabalhar QUADRADO LOMBAR, OK, igual acho que existem outros MUITO melhores.
Mas se você é mais uma DAS PESSOAS que usa para afinar a cintura, reduzir gordura localizada ou reconquistar o amor perdido, sinto em dizer que está perdendo seu tempo.
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia #belohorizonte #guanambi #lenevbarros #brasil#Fernandobodybuilderteam #paracambi #pbi #academia #abs 
Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011.
Fonte: regional fat changes induced by localized muscle endurance resistance training, Campillo et al., 2013. #InstaSaveApp #QuickSaveApp

@Regran_ed from @lenevbarros - Texto @marceloscience Sim, ele serve BASICAMENTE para trabalhar o músculo quadrado lombar. Mas professor, me falaram que ele “AFINA A CINTURA” e “REDUZ GORDURA LOCALIZADA”! Aí sinto em dizer que quem falou isso ou é ignorante ou mal intencionado, mas vamos aos fatos. Primeiro é importante entender que NENHUM exercício abdominal reduz gordura localizada ou afina a cintura (Vispute, 2011 e Campillo, 2013). Outro ponto é que esse exercício pode até ser perigoso para a coluna, pois como estamos na vertical e ainda carregando peso, há um aumento importante da pressão axial (achatamento da coluna), aumentando a possibilidade de alguma complicação. Sendo assim, se você usa esse exercício para trabalhar QUADRADO LOMBAR, OK, igual acho que existem outros MUITO melhores. Mas se você é mais uma DAS PESSOAS que usa para afinar a cintura, reduzir gordura localizada ou reconquistar o amor perdido, sinto em dizer que está perdendo seu tempo. Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #treino #marceloscience #musculação #definir #músculo #abdominal #leanmass #strength #hipertrofia #belohorizonte #guanambi #lenevbarros #brasil #Fernandobodybuilderteam #paracambi #pbi #academia #abs Fonte: The effect of abdominal exercise on abdominal fat, Vispute et al., 2011. Fonte: regional fat changes induced by localized muscle endurance resistance training, Campillo et al., 2013. #InstaSaveApp #QuickSaveApp - 8 days ago

20 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann - 8 days ago

17 Likes
4 Comments
0
Para o nosso "DEPENDE" de cada dia...
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Para o nosso "DEPENDE" de cada dia... Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 8 days ago

19 Likes
1 Comments
0
@Regran_ed from @team_cerebro -  #siga @marceloscience  STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999).
•
Sendo assim, qual desses ativa mais?
•
Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior.
•
Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna.
•
Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura.
•
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
 #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente 
Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015. - #regrann

@Regran_ed from @team_cerebro - #siga @marceloscience STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999). • Sendo assim, qual desses ativa mais? • Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior. • Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna. • Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura. • Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015. - #regrann - 9 days ago

35 Likes
2 Comments
0
#siga @marceloscience  STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999).
•
Sendo assim, qual desses ativa mais?
•
Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior.
•
Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna.
•
Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura.
•
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
 #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente 
Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015.

#siga @marceloscience STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999). • Sendo assim, qual desses ativa mais? • Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior. • Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna. • Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura. • Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015. - 9 days ago

40 Likes
1 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

41 Likes
3 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • •
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience • • • Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

27 Likes
2 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
@marceloscience
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. @marceloscience Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

113 Likes
5 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #musculação @brunocouto_personal

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #musculação @brunocouto_personal - 9 days ago

32 Likes
1 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.
#24por7

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #24por7 - 9 days ago

17 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto: @marceloscience - Este é mais um estudo mostrando a importante de associar exercício à alimentação equilibrada para conseguirmos melhores resultados para o emagrecimento.
Sendo que a MUSCULAÇÃO parece a melhor opção, provocando MAIOR perda de gordura (- 7,8kg), além de ter praticamente mantida a massa muscular (- 800g).
Questão preocupante desse estudo foi que o exercício AERÓBIO provocou MAIOR perda muscular que SÓ DIETA (- 1,6kg vs - 1,0kg).
•
Bons treinos e bons estudos 🙏.
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder
Fonte: Effect of Exercise Type During Intentional Weight Loss on Body Composition in Older Adults with Obesity, Beavers et al., 2017. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto: @marceloscience - Este é mais um estudo mostrando a importante de associar exercício à alimentação equilibrada para conseguirmos melhores resultados para o emagrecimento. Sendo que a MUSCULAÇÃO parece a melhor opção, provocando MAIOR perda de gordura (- 7,8kg), além de ter praticamente mantida a massa muscular (- 800g). Questão preocupante desse estudo foi que o exercício AERÓBIO provocou MAIOR perda muscular que SÓ DIETA (- 1,6kg vs - 1,0kg). • Bons treinos e bons estudos . CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E/OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto e imagem: @marceloscience #força #marceloscience #treino #single #multiple #sets #musculação #hypertrophy #squat #bodybuilder Fonte: Effect of Exercise Type During Intentional Weight Loss on Body Composition in Older Adults with Obesity, Beavers et al., 2017. - #regrann - 9 days ago

19 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann - 9 days ago

11 Likes
0 Comments
0
Para quem odeia tá aí !
#Repost @team_cerebro with @get_repost
・・・
#siga @marceloscience  STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999).
•
Sendo assim, qual desses ativa mais?
•
Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior.
•
Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna.
•
Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura.
•
Bons treinos e bons estudos 😉
CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
 #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente 
Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015.

Para quem odeia tá aí ! #Repost @team_cerebro with @get_repost ・・・ #siga @marceloscience STIFF e CAMA FLEXORA, são muito utilizados para trabalhar a musculatura de trás da coxa e ativar essa musculatura é algo bastante importante, pois exercícios multiarticulares, como agachamento e leg-press, parecem não ser tão eficientes (Ebben, 2009; Wilk, 1996 e Wright, 1999). • Sendo assim, qual desses ativa mais? • Os resultados mostraram que na parte proximal (perto do glúteo) NÃO houve diferença, mas que na parte distal (perto do joelho) a CAMA FLEXORA é MUITO superior. • Outro detalhe importante é que a prática muitas pessoas realizando o stiff de forma ERRADA, arredondando a lombar aumentando a sobrecarga na coluna. • Assim, segundo este estudo, a cama flexora além de ativar mais pode ser mais segura. • Bons treinos e bons estudos CURTA E MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR SOBRE O ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO #posterior #marceloscience #treino #hipertrofia #posteriordecoxa #coxa #musculação #saúde #ativacao #exercicio #musculacao #team_cerebro #treino_inteligente Fonte: Regional diferences in muscle activation during hamstrings exercise, Schoenfeld et. al., 2015. - 9 days ago

41 Likes
4 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • • • •
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience • • • • • Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

47 Likes
1 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann Parabéns, mestre! Mais um belo post! 
#TeamHarold #força #foco #motivation #instagoods #treino

@Regran_ed from @marceloscience - Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann Parabéns, mestre! Mais um belo post! #TeamHarold #força #foco #motivation #instagoods #treino - 9 days ago

37 Likes
1 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

17 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience
• • • • •
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience • • • • • Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR de forma NEGATIVA a produção de força na musculação, NÃO necessariamente na hipertrofia, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

35 Likes
0 Comments
0
#Repost @marceloscience (@get_repost)
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience (@get_repost ) ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

27 Likes
1 Comments
0
@Regrann from @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

@Regrann from @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

93 Likes
3 Comments
0
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro #Fernandobodybuilderteam #paracambi #pbi #rj
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro #Fernandobodybuilderteam #paracambi #pbi #rj Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

194 Likes
8 Comments
0
#Repost from @marceloscience by @quicksave.app
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #belohorizonte #lenevbarros

#Repost from @marceloscience by @quicksave.app ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. #belohorizonte #lenevbarros - 9 days ago

451 Likes
18 Comments
0
#Repost @marceloscience with @get_repost
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #treinamentointeligente #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience with @get_repost ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #treinamentointeligente #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

26 Likes
0 Comments
0
@Regran_ed from @marceloscience -  Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann

@Regran_ed from @marceloscience - Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - #regrann - 9 days ago

60 Likes
1 Comments
0
#Repost @marceloscience
・・・
Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção.
Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016).
Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes.
Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência.
Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação.
Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação.
Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais.
Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO.
Bons treinos e bons estudos.
MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO
Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro
Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016.
Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016.

#Repost @marceloscience ・・・ Texto @marceloscience - Muitas pessoas e atletas têm dúvidas se PODEM treinar aeróbio e musculação na mesma seção. Alguns estudos indicam que não há problema (Wilson, 2012; Jones, 2013 e Lundberg, 2013), já outros mostram que eles podem atrapalhar o resultado um do outro (Monteiro, 2015; Hakkinen, 2014 e Jones, 2016). Estudo de Coffey (2016) fez uma análise indicando 2 pontos muito interessantes. Primeiro: quanto MAIS treinada for a pessoa, MAIOR será a influência. Segundo: a musculação parece afetar MENOS o aeróbio, já o aeróbio afeta MAIS a musculação. Estudo de Ratamess (2016) analisou a influência de diferentes tipos de treino aeróbio antes da musculação. Os resultados mostraram que treinos intervalados, MAIS INTENSOS, influenciavam MAIS na musculação que aeróbios convencionais. Assim, a musculação parece NÃO atrapalhar o aeróbio, já o aeróbico parece INFLUENCIAR na musculação, mas principalmente se você for BEM TREINADO e se o treino for INTENSO. Bons treinos e bons estudos. MARQUE QUEM POSSA SE INTERESSAR PELO ASSUNTO E OU AGREGAR VALOR À DISCUSSÃO Texto: @marceloscience #endurance #concurrent #bodybuilder #musculação #marceloscience #treino #musculacao #aerobio #aerobico #hipertrofia #concorrente #treinar #treinados #resistance #treinoconcorrente #team_cerebro Fonte: Concurrent exercise training: Do opposites distract? Coffey et al., 2016. Fonte: Acute Resistance Exercise Performance Is Negatively Impacted by Prior Aerobic Endurance Exercise, Ratamess et al., 2016. - 9 days ago

189 Likes
12 Comments
0
Loading...
Load more posts
2017 - © Deskgram. All rights reserved.